Thursday, February 04, 2010

ESTUDANTES VOLTAM À RUA

Os estudantes do ensino básico e do secundário afirmam que cerca de 30 mil alunos participaram hoje nas manifestações realizadas em todo o país e adiantam que está a correr um abaixo-assinado para recolher 50 mil assinaturas.
Estudantes dizem que houve tentativas para impedir os protestos (Paulo Pimenta)

Os alunos que decidiram "fazer do dia 4 de Fevereiro uma grande jornada de luta", no continente e ilhas, reivindicam a revogação do estatuto do aluno, do regime de faltas, a aplicação imediata da educação sexual nas escolas, o fim dos exames nacionais, a melhoria das condições dos estabelecimentos de ensino e a gratuitidade dos manuais escolares.

Em comunicado, a Delegação Nacional das Associações de Estudantes do Ensino Secundário e Básico (DNAEESB), que promoveu o protesto, acusou o Ministério da Educação, os agentes da autoridade e as escolas de uma acção concertada para "impedir os protestos identificando estudantes, fechando portões para impedir os estudantes de saírem da escola e impedindo trajectos de manifestações".

A DNAEESB fala ainda em dezenas de estudantes identificados pela polícia em todo o país e afirma ter tomado conhecimento de "uma circular do Gabinete Coordenador da Segurança Escolar em que se ordenou às escolas que tomassem 'medidas especiais' com vista a impedir a realização dos protestos".

O Ministério da Educação nega ter havido quaisquer orientações no sentido de impedir os protestos, manifestando-se respeitador dos "direitos de liberdade de associação dos estudantes".

2 comments:

AZARÃO said...

Bons tempos, meu amigo, aqueles em que os estudantes brasileiros também se iam às ruas para protestar.
Hoje, só vão aos shoppings centers.
Será que precisamos de outra ditadura militar para nos pôr à luta?

apedroribeiro said...

não sei qual é a situação no Brasil mas aqui, meu amigo, começa a ficar interessante.