Thursday, December 31, 2009

D.H.LAWRENCE

Um poema de D.H. Lawrence


Democracia

Sou democrata na medida em que amo o livre sol dos homens
e aristocrata na medida em que detesto as possessivas tacanhas [criaturas.

Amo o sol em qualquer,
quando o vejo na fronte,
claro, sem temor, ainda que frágil.

Mas, quando vejo os pardos homens prósperos,
hórridos e cadavéricos, inteiramente sem sol,
como obscenos escravos prósperos saracoteando-se mecânicamente,
então sou mais que radical, desejo a guilhotina.

E quando vejo os que trabalham,
pálidos e vis como insectos, às corridas
e como piolhos vivendo, com dinheiro contado
e sem nunca erguer os olhos,
então, como Tibério, desejo que a multidão tivera uma cabeça
para decepá-la de um só golpe.
Eu penso que, quando as gentes perderam totalmente o sol,
não têm direito a existir.





em Poesia do Século XX, antologia, tradução, prefácio e notas de Jorge de Sena, Porto: Edições ASA, 3ª edição, 2003, p.190.

retirado de http://meianoitetododia.blogspot.com

Wednesday, December 30, 2009

DA CARLINHA-CARLA OM

heias !!!! travelling into the sound it sounds like magic floatting in the air !!!

estou ultra sensível no parque florestal tenho visões encantadas vestidas de azul eléctrico ... o universo do rock and roll português e vejo me a andar de baloiço faz me lembrar a bateria em maldoror de mão morta .... o pedro quer ir até braga curtir tostas mistas na brasileira !!! .... preciso de arranjar uma garrafa de champagne, já me abasteci de polen para curtir e expandir a mente apra niveis mais elevados !!! ....carla a "flutuar" !!!! ... point de exclamation sinto me uma profeta que percorre estradas lunares de luz levei os fucking mão morta ao planeta lua ... peço ajuda para cenas mais deva nt e plus interessant .... bófia all over the system rien de parler avec le etar c est une mix de energies bad bad vibes !!!!!!!!!!!!!!! .... bom ano, a concretização dos vossos sonhos e fantasias !!! ... VOU ALMOÇAR INVENTEI UMA RECEITA NOVA, QUADRADOS DE PÃO FRITOS EM AZEITE E ALHO E UMA SANDWISH FA NTÁSTICA, pão bacon grelhado cogumelos e queijo derretido ... bonne apetit !!!!! carla aka uma deusa "pop"

REGRESSO AO PIOLHO

Regresso ao Piolho
com os livros do Piolho
na mão
A Alexandra não está
nem a Ana
ofereci um livro
ao Adriano
afinal de contas,
é citado
passou por aqui
o Do Vale

regresso ao Piolho
com os livros do Piolho
na mão
sou o poeta do Piolho
o poeta que escreve
já estava farto
de permanecer na aldeia

regresso ao Piolho
com os livros do Piolho
na mão
vou oferecer um ao Do Vale
já ofereci
o homem inspira-me
é o profeta do Piolho
e da cidade.

Agarro-me aos versos
à droga
a ver se compenso
a tua ausência

mas não consigo
tu és mais forte
tu estás para lá
da rotinazinha
das chávenas, dos bolinhos
das coisinhas
que nos dão todos os dias

tu és a música
tu és a canção
que só nós sabemos
que eles não compreendem
tu és o amor
que me sacia
que me dá forças
para continuar
nunca mais haverá
outra como tu
está escrito
nas estrelas
aguento um dia, dois
mas depois
parto-me
rebento
parece que o mundo
nos quer separar
até me apetece
pegar-lhe fogo
dançar a dança do caos
empalar os reis
e os fantoches
até me apetece
estar do lado do mal.


Vilar do Pinheiro, 28.12.2009

Tuesday, December 29, 2009

ENTREVISTA DA CARLINHA


quinta-feira, 26 de Fevereiro de 2009

António Pedro Ribeiro é uma longa história de actos revolucionários. Poeta e fundador do Partido Surrealista Situacionista Libertário, no Porto, acredita numa nova “ ordem “ mundial, no homem que explora as suas capacidades máximas, o homem deus. Assume se como anti capitalista e tem sempre uma palavra anti a dizer quanto a uma sociedade moralista e moralizador. Imaginação ao poder!! Já !
1. Quais as linhas gerais do Partido Surrealista Situacionista Libertário? O Partido Surrealista Situacionista Libertário (PSSL) opõe-se à vidinha do rebanho, previsível, rotineira, sem interesse de todos os dias. O PSSL opõe-se à não-vida do mercado, da economia, do dinheiro, do lucro, do governo, do défice, das décimas, das percentagens. O PSSL recusa que o homem se reduza à condção de número, de mercadoria, de objecto de compra e venda, o PSSL abomina a troca mercantil "que emporcalha as relações humanas". O PSSL quer silenciar o discurso assexuado dos economistas. O PSSL acredita no amor, na liberdade e na poesia como forças inaugurais de um mundo onde o homem seja criador, deus, poeta. O PSSL acredita na vida autêntica, plena, divina tornada banquete permanente, onde sejamos profetas e afirmadores da vida. O PSSL quer acrescentar caos ao caos actual de forma a atingir a revolução. O PSSL entende que a culpa da crise do capitalismo é do próprio capitalismo e que, portanto, é preciso derrubá-lo mas sem as tácticas eleitoralistas dos partidos e organizações tradicionais que apenas contribuem para o reformar. O PSSL não acredita em transições pacíficas para o socialismo nem para o anarquismo por isso defende a revolta permanente.

2. O apedro é exemplo desse inconformismo... tem uma longa história de actos revolucionários . Como foi quando foi a ocupação do Feira Nova de Braga? A história da ocupação do Feira Nova de Braga aconteceu em Setembro de 1990. Eu, na altura, colaborava com um jornal chamado "Minho" que teve uns problemas com o hipermercado Feira Nova e então o director pediu-me para escrever qualquer coisa contra o hipermercado. Em vez disso saí de casa com uma faca de plástico no bolso e, através do jornal, comecei a distribuir panletos anti-consumistas à porta do hipermercado. Entretanto, as rádios ou os jornais locais anunciaram que o Che Guevara tinha mandado fechar o Feira Nova. Havia pessoas a fugir de mim na rua e os velhotes faziam-me continência. Na altura, eu era contra o consumismo e contra o monopólio dos hipermercados. Outra história interessante aconteceu em 2003 quando fui acusado de deitar abaixo a estátua do major Mota na Póvoa de Varzim. O major Mota tinha sido presidente da Cãmara no tempo da ditadura e eu comecei a distribuir panfletos a dizer que a estátua era um insulto ao 25 de Abril. Meses depois a estátua foi derrubada e eu e a Frente Guevarista Libertária fomos acusados de a deitar abaixo. Eu tinha escrito um mail a dizer que a estátua ia cair e dois dias depois caiu mesmo. Nunca se soube quem foi mas eu fui interrogado pela Judiciária.3. Dás a entender que não vivemos numa democracia efectiva... a "máquina-sistema" não te parece ser muito pesada ?

Pela tua lógica, o derrube das réstias do fascismo, os países bascos já seriam independendes à muito tempo ... foram invadidos no tempo de franco... O padre Mário de Oliveira disse me uma vez que a revolução de abril nao tinha chegado ao seio da igreja católica onde predominavam réstias de fascismo ... "um homem máquina acorrentado?"
Vivemos na democracia da vidinha. Na democracia da compra e venda. O deus-dinheiro substituiu o Deus de Nietzsche. É um deus que afasta a vida, que converte tudo em mercadoria. É um deus que tem os seus prfetas que pregam estatísticas, percentagens, défices, orçamentos. Tudo isso é morte, é vidinha, não é a verdadeira vida. O fascismo está em todo o lado, não é só no País Basco (aí talvez seja mais evidente). Como dizia Nietzsche, tem de nascer um novo homem, sem preconceitos, livre, capaz de substituir o sub-homem da sub-vida, da vidinha. Há que derrotar todos os servilismos, todo o espírito do rebanho. Para isso é necessária uma revolução global, espiritual, não apenas política ou económica.

4. Imagina, os Estados Unidos sao o primeiro país a declarar se defensores dos direitos do homem e ainda perseguem comunistas. Onde está a liberdade de expressão? O Estado serve para alimentar os tais "carneiros" ... achas possível uma anarquia num futuro brilhante para a humanidade? Os Estados Unidos não são exemplos para ninguém. Nem acredito que Obama melhore as coisas por aí além. Quem manda nos Estados Unidos são os grandes grupos económicos que só estão interessados em lucros astronómicos, os generais e a indústria de guerra. São interesses que nada têm a ver com direitos humanos.Eu tenho que acreditar no anarquismo. Se ele é possível em pequena escala também poderá ser possível ao nível da humanidade. é precisa a tal revolução dionisíaca, é preciso acreditar no amor, na liberdade, na revolução e também no caos. Isto não é acreditar no amor de forma ingénua como as religiões ou os "hippies". É dar caos ao caos. Ir para a rua partir os bancos e a bolsa que nos oprimem, partir coisas como há pouco tempo se fez na Grécia. A revolta é necessária para chegar onde queremos.

5. Defendes uma nova ordem ... revolucionária. não achas que vivemos em pseudo democracias? Nao achas que se deturpou Abril de 74?
Não sei se é uma ordem. Acho que não gosto muito da palavra. Acredito na revolução mas não tenho de apresentar sistemas alternativos. Vivemos em democracias de rebanho. O 25 de Abril ficou por se completar. Houve aquela esperança em 1974/75 mas depois veio a normalização.

Já alguma vez te candidataste à liderança de uma instituição?
Já me candidatei à presidência da Junta de Vila do Conde e à Junta da Póvoa de Varzim pelo Bloco de Esquerda, onde fiquei a três votos de ser eleito mas, se calhar, ainda bem que não fui. Já fui candidato a deputado pelo PSR por Braga e várias vezes candidato à presidência da Associação de Estudantes da Faculdade de Letras do Porto, sempre em listas minoritárias. Ganha-se uma certa notoriedade, podem-se discutir umas ideias mas os partidos controlam muito, especialmente o Bloco de Esquerda. No PSR era mais livre e espontâneo.

http://voodooexperience.blogspot.com

Sunday, December 27, 2009

MÃE

Mãe
que pare
eis como me sinto
não sou como tu
que comes tudo
o que a TV dá
tudo o que a TV
vende
morte, morte e mais morte
mesmo que venha embrulhada
de gajas boas
de mulheres de sonho
eis o que eles te vendem
eis a merda
que te dão de comer
todos os dias
as notícias do Templo
e do Império
eis o que te mata
o que te envenena
o que te tenta vencer
uma e outra vez
em forma de bola
em forma de mulher

mãe
que pare
eis como me sinto
resisto
estou aqui
fornico a solidão
não sou como vós
não sou vosso irmão
não me envenenais
não me matais
crio
creio
sou o poeta
o mago da Palavra
mãe que pare
e insiste.


Vilar do Pinheiro, 27.12.2009

Saturday, December 26, 2009

ROTINA NA MOTINA


ROTINA NA MOTINA


Chego triunfal à "Motina"
o bêbado adormece diante do copo
o fadista passeia de boné na cabeça
dá umas voltas
cumprimenta o psicólogo
as mulheres falam dão à língua
são máquinas de falar
nunca mais páram
a rádio passa Bruce Springsteen
"Glory Days"
ouvia isso aos 16 anos
quando era um jovem promissor
bom aluno boas notas
depois percebi que tudo
se resumia a notas e moedas
e cartões multibanco e contas bancárias
depois percebi que quase nada fazia sentido
antes andar bêbado
e adormecer diante do copo
é claro que há sempre as empregadas
a chamar-nos a atenção
mas não deixamos de estar na nossa
quase imunes ao capitalismo
desde que tenhamos uns trocos
para os copos
às vezes há umas gajas que falam connosco
que vêm ter connosco no fim da representação
que pensam que nós somos mais que os outros
só porque dizemos umas coisas
que os outros não dizem
e essas gajas fazem-nos acreditar
que existe qualquer coisa
como quando as crianças olham para nós
e há qualquer coisa de mágico na coisa
isto não é apenas um gajo a escrever
isto não são apenas os croissants a chegar
isto não é apenas o trabalhinho
isto não é sequer o dinheirinho
isto não são apenas as velhas a marchar
para fora da confeitaria
isto não é apenas o pequeno-burguês a mastigar
isto não é apenas a bandeira nacional
espetada na parede
há qualquer coisa!
Não sei se é Deus ou se são os deuses
não sei se é a energia como diz o Henrique
talvez seja o Espírito
o deus em nós de que fala Henry Miller

E pronto! Vem um gajo para a confeitaria
estudar alemão
e saem-nos deuses e espíritos
vem um gajo cantar a rotina
e o bêbado que adormece
diante do copo
e sai-nos a alma
a essência
a explicação de tudo isto

E pronto! Chega uma gaja boa
e lá se vai a essência
ou será sinal que ela vem de vez?


Vilar do Pinheiro, "Motina", 14.12.2008



A. Pedro Ribeiro (ou António Pedro Ribeiro) nasceu no Porto, Portugal, em Maio de 1968.
É autor dos livros de poesia e manifestos "Queimai o Dinheiro" (Corpos Editora, 2009), "Um Poeta a Mijar" (Corpos Editora, 2007), "Saloon" (Edições Mortas, 2007), "Declaração de Amor ao Primeiro-Ministro" (Objecto Cardíaco, 2006), "Sexo, Noitadas e Rock n' Roll" (Edições Pirata, 2004) e "Á Mesa do Homem Só. Estórias" (Silêncio da Gaveta, 2001).
Foi fundador da revista "Aguasfurtadas" e colaborou nas revistas "Sinismo" (Faculdade de Letras do Porto), "Do Silêncio dos Poetas", "Bíblia", "Íncubo" e "A Voz de Deus".
Diz poesia publicamente há mais de 20 anos, tendo participado no Festival de Paredes de Coura de 2006 e no Festival de Salvaterra do Minho (Espanha) em 2007.
É licenciado em Sociologia.

E-mail: apedroribeiro@hotmail.com

Thursday, December 24, 2009

O TRATADO DE LISBOA

TRATADO REFORMADOR

O primeiro-ministro saiu vitorioso da cimeira. O primeiro-ministro teve um ataque de ciumeira à saída da cimeira. O primeiro-ministro apanhou uma bebedeira à saída da cimeira. O primeiro-ministro teve um ataque de caganeira à saída da cimeira.
Os 27 assinaram o Tratado. O Tratado foi assassinado à porta do hipermercado. Os 27 foram alvejados 27 vezes. Os 27 e o Tratado foram ao circo. Os 27 e o Tratado tiveram um ataque de caganeira.

POEMA

há três dias que não durmo
a depressão parece ter passado finalmente
e lá continuo eu a falar de mim
lá continuo eu na onda auto-destrutiva
lá continuo eu atrás da loucura
fez-me bem ter estado em Braga com a Goreti
aquela miúda consegue curar-me
há poemas que não devem ser ditos em voz alta
se não parece que estamos no psiquiatra

PCTP/MRPP

Esclavagismo e traição…
Veio a terreiro na comunicação social que os sindicatos, CESP, desconvocaram o pré-aviso de greve marcada pelos trabalhadores dos hipermercados para 24 de Dezembro, porque os patrões voltaram atrás...perguntamos quais as condições que estes sindicalistas aceitaram, porque o que se sabe é muito pouco, informam que os patrões "retiraram a proposta e que esta situação "não inviabiliza as negociações salariais?!, não sabemos quais! Mas o mais interessante deste informe por parte dos sindicalistas, é que as empresas "estão a fazer comunicados e a fixá-los nos locais de trabalho dizendo que não há razão para a greve porque a proposta de mais horas de trabalho não vai para a frente". Será necessário dizer mais algo sobre a traição que se prepara sobre a luta mais justa dos trabalhadores?

Mas vamos aos factos sobre esta luta destes trabalhadores, que vendem a sua força de trabalho nos inúmeros hipermercados, contra os patrões, Sonae ou Jerónimo Martins, uns dos maiores esclavagistas da nossa época.
Esclavagistas, sim senhor, porque estes patrões não se contentando em manter uma mão-de-obra, baratinha, a média dos salários que os trabalhadores auferem correspondem ao ordenado mínimo, trabalhando com horários que exorbitam os contratos de trabalho assinados, existindo a maior flexibilidade de funções existentes no nosso país, ainda querem impor aos trabalhadores que trabalhem 60 horas semanais, correspondendo a 12 a 14 horas diárias, claro como os patrões afirmam com descaramento que são voluntários, nada de obrigações...e não podemos esquecer que os trabalhadores podem ser convocados na véspera para trabalhar mais horas das que estão consignadas por contrato, (que na prática não são cumpridos na maior parte das vezes).

Esta posição dos patrões tem suporte na lei, o chamado banco de horas, aprovado pelo governo do Sócrates na sequência da aprovação do malfadado Código de Trabalho. Por isso ainda é mais dramática esta situação que o patronato o querer impor horas extraordinárias sem a devida compensação seja monetária e de descanso mínimo para os trabalhadores.

Naturalmente os senhores patrões, fazendo coro com vários especialistas económicos da nossa praça, vieram a terreiro informar "que eles dão emprego a milhares de famílias e que melhor é ter trabalho..." como escravos, dizemos nós, cambada de negreiros.

Os trabalhadores não devem aceitar estas condições vexatórias contra a sua dignidade e devem opor-se contra estes desígnios, e devem exigir da parte dos sindicatos, seus representantes?!, que seja assinado preto no branco uma cláusula contra qualquer outra eventualidade de imposição deste género de horários e lutar em simultâneo pela extinção deste banco de horas que só serve aos patrões ( e aos sindicalistas que se vendem por um prato de lentilhas...).

Esta situação vem pôr em destaque o que nosso partido tem sempre defendido, que os trabalhadores devem lutar pelas 30 horas semanais, como um objectivo importante e fundamental para salvaguardar o emprego e exigir também numa luta mais geral, o aumento do salário mínimo para os 600 euros.

23 de Dezembro de 2009

Tuesday, December 22, 2009

REVOLTA


Dezenas de jovens ativistas saquearam ontem (19) à tarde um supermercado no bairro operário de Nou Barris, em Barcelona, e distribuíram os alimentos entre os vizinhos, em uma ação de protesto contra a crise econômica e a precariedade no emprego. A chegada dos Mossos d´Esquadra [Polícia Autônoma] pôs fim ao assalto e depois de alguns minutos de bate-boca com os policiais os jovens saíram fora, sem que a polícia realizasse quaisquer detenções.



A ação, que foi convocada pela Assembléia de Desempregados de Barcelona, teve início por volta das 18 horas, na rede de supermercados Caprabo-Eroski, localizado na Plaza de Llucmajor. De maneira coordenada, vários jovens entraram no estabelecimento e encheram doze carrinhos com produtos de primeira necessidade, como macarrão, arroz, embutidos e conservas, e algumas garrafas de vinho.

Quando os carrinhos estavam cheios, os jovens se aproximaram das seis caixas registradoras do supermercado e passaram todos os produtos pelo leitor do código de barras. Na hora de pagar disseram que não iriam fazê-lo, criando assim um momento de perplexidade e alvoroço, que foi utilizado, também, por alguns clientes para passar pelos caixas sem pagar o conteúdo de seus carrinhos de compras. Enquanto isso, os jovens ativistas começaram a distribuir os produtos extraídos entre os vizinhos do bairro, que haviam sido alertados pelos saqueadores com dois megafones.

"Expropriamos este supermercado para distribuir o que produzimos entre todos, porque queremos bater de frente com um sistema que nos rouba diariamente com contratos precários, hipotecas, empréstimos predatórios etc.", dizia o folheto que distribuíram os ativistas e que encabeçava a frase "Lotes e cestas de presentes 2009" em todas as línguas oficiais da Espanha.

agência de notícias anarquistas-ana

Ilhotas boiando.
Sob um céu vasto e sereno
este mar tranqüilo.
Fanny Dupré

http://redelibertaria.blogspot.com

MARTHA MEDEIROS

"Não tenho nada a ver com explosões”, diz um verso de Sylvia Plath. Eu li como se tivesse sido escrito por mim. Também não faço muito barulho, ainda que seja no silêncio que nos arrebentamos.
Tampouco tenho a ver com o espaço sideral, com galáxias ou mesmo com estrelas. Preciso estar firmemente pousado sobre algo — ou alguém. Abraços me seguram. E eu me agarro. Tenho medo da falta de gravidade: solto demais me perco, não vôo senão em sonhos.
Não tenho nada a ver com o mato, com o meio da selva, com raízes que brotam do chão e me fazem tropeçar, cair com o rosto sobre folhas e gravetos feito um fugitivo dos contos de fada, a calça rasgando pelo caminho, a sensação de ser perseguido. Não tenho nada a ver com cipós, troncos, ruídos que não sei de onde vêm e o que me dizem. Não me sinto à vontade onde o sol tem dificuldade de entrar. Prefiro praia, campo aberto, horizonte, espaço pra correr em linha reta. Ou para permanecer sem susto.
Não tenho nada a ver com boate, com o som alto impedindo a voz, com a sensualidade comprada em shopping, com o ajuntamento que é pura distância, as horas mortas desgastando o rosto, a falsa alegria dos ausentes de si mesmos.
Não tenho nada a ver com o que é dos outros, sejam roupas, gostos, opiniões ou irmãos, não me escalo para histórias que não são minhas, não me envolvo com o que não me envolve, não tomo emprestado nem me empresto. Se é caso sério eu me dôo, se é bobagem eu me abstenho, tenho vida própria e suficiente pra lidar, sobra pouco de mim para intromissões no que me é ainda mais estranho do que eu mesmo.
Não tenho nada a ver com cenas de comerciais de TV, sou um filme sueco, uma comédia britânica, um erro de adaptação, um personagem que esquece a fala, nada possuo de floral ou carnaval, não aprendi a ser festivo, sou apenas fácil.
Nada tenho a ver com não gostar de mim. Me aceito impuro, me gosto com pecados, e há muito me perdoei.
Não tenho nada a ver com galáxia, mato, boate, a vida dos outros, os comerciais de TV. Meu mundo se resume a palavras que me perfuram, a canções que me comovem, a paixões que já nem lembro, a perguntas sem respostas, a respostas que não me servem, à constante perseguição do que ainda não sei. Meu mundo se resume ao encontro do que é terra e fogo dentro de mim, onde não me enxergo, mas me sinto.
Minto, tenho tudo a ver com explosões.


Martha Medeiros

Monday, December 21, 2009

QUATRO DA MANHÃ


São quatro da manhã. Não consigo dormir. Regressei a Henry Miller. "Sexus". Há uma nova luz. Que volta a ser de Jesus. (E não estou a falar do Benfica). Uma luz que me seduz. Que me conduz até à Gotucha. Que deixa tudo o resto para trás. Que me deixa cheio de gás. Que me faz recomeçar. Que me dá forças. Que me aquece as tripas. É do whisky. Sou do whisky. Bebi whisky dois dias seguidos. E agora não tenho sono. Agora vou até de manhã. Sou da noite. Venho da noite. Escrevo. Escrevo porque é a única coisa que sei fazer. A única não: também sei estar no palco às vezes. Nem sempre. Há vezes em que as coisas começam a correr mal como no sábado. Parecia estar tudo bem até que só tinha uma gaja a olhar para mim. As outras viraram as costas. Nem com a "Menina" lá fui. É muito doloroso estar no palco e sentir que quase ninguém te está a dar atenção mesmo que estejas a dar o litro e que tenhas de continuar. Mas, enfim, também já tive a glória. Mas a glória vem e foge. Como a Gotucha. São quatro da manhã. Escrevo. Não sei onde quero chegar. Sei que quero a Glória e a Gotucha. Sei que procuro. Que não sou bem como os outros. Que atiro coisas fora. Que não ando aqui atrás do dinheiro. Quando muito espero que ele venha ter comigo. Escrevo para matar as horas. Escrevo para combater o tédio. A maior parte das pessoas ficou formatada para ir atrás do dinheiro e do estatuto. Eu só corro atrás da glória. E da Gotucha. Sou um rei que não é deste reino. Se calhar nasci no tempo errado. Se calhar sou eu que estou certo. O mundo é que está errado. Tenho o mundo na mão e ando aos trocos. Serei Deus? Serei Jesus? Porque é que os deuses me puseram aqui? O whisky é outra coisa. Bebes e sentes-te mais senhor. Bebes com Deus e com o demónio. Porque é que as gajas não olharam para mim? Isso fez-me sentir tão mal. Estarei velho? Too old for rock 'n roll. Ou será que perco com a música? Provavelmente sim. Mensageiro dos deuses. Como escreve Platão no "Íon". Nem sempre estou abençoado. Nem sempre a estrela me segue. Quatro e meio da manhã. Não consigo dormir. Ouço Dead Can Dance.

Friday, December 18, 2009

DA CARLINHA-CARLA OM

...carla "a flutuar" releio estilhaços na escuridão do meu quarto e tenho flashes gosto do primeiro conto faz me sempre lembrar a minha fase mais alucinada ... ooo meu mundo verdadeiro da miuda que editava o linha da frente na era fm aka la revolution ... não entendi muito bem se a malta curtiu o meu trabalho em estúdio altamente diferente, olhem eu curti bués e ainda escuto a crónica de vez em quando amanhã regresso para gravar umas cenas novas ... tenho um conto sobre a homossexualidade muito giro , um concerto na lua com os mão morta e mais uns djs ehheh que nice ... o mundo do rock and roll azul eléctrico me people ... aka a precisar de movimento torna se mais dificil agarrararem nos ... e "taxi e devia ter dito ácido" será que foi uma visão só minha ... a transbordar de criatividade moi num baloiço perto dos wcs do parque florestal o maluco do dr albert hoffman estava presente claro miudos... escrevi lhe uma vez para a fundação albert hoffman a contar a minha experiência com os ácidos ... tava doente no hospital com 92 anos respondeu me o myron que fazia pesquisa com ele nos anos setenta com terapia para casis com dificuldades de comunicação usava o fantástico ácido, entretanto albert hoffman faz uma ride na sua bicicleta e toma um quarto de ácido na suiça ... pois é amigos a idade é o que nós fazemos dela ... o meu irmão que é hiperactivo tá sempre a organizar concertos e festas de trance no porto rio e no pin up vive comigo diz que pensava como eu quando tinha vinte anos mas que é impossível viver assim talvez um pouco à parte no patiente para mentes medíocres, criatividade estimula criatividade ... vá, curtam o dia eu vou fumar um cigarro e mantenham se em conexão com a amizade criativa ... plur peace love union respect

Monday, December 14, 2009

DA CARLINHA-CARLA OM

.............!!!!!!!!!!!!!!.... carla a "flutuar" como diz o antonio pedro ribeiro ... bebi uma tacinha de vinho e fumei umas ganzas no parque florestal da cidade beira rio ... sonhei que o "meu" povo (sem imposição) procura a xiba da resistance française vidas passadas momentos altamente sagrados ... não vale a pena, estamos devant dans ce moment ... não têm o sentimento a experienciação a criatividade a progressão nunca chegarão lá .... que o zach tinha sido torturado pela cia ... já me aconteceu uma cena semelhante ... " os suspeitos de terrorismo disseram que a tortura é a mesma " lembro me do meu subconsciente ... não importa perseguem a liberdade desde sempre e repetem deusas e deuses autobaptizei a miss sheila de deusa da sabedoria ! ...o jiggy deus da liberdade os xutos deuses da sensação os infected mushroom deuses da ilusão o leão deus da alucinação e da ideologia ehhehe qye mundo nice !!!! ... deambula se e surrealiza se a mente tenho fomita vou almoçar a música do joão pedro pais anda a ser decalcada, sei o que é inspiração e decalque ... os pimbas usam os nossos beats sagrados sem sintonia cósmica sem musicalidade parecem tractores simplesmente odeio devia ser proibido para proteger a música ! vou voltar a estúdio quero gravar um conto ... depois partilho !!! VIVA BACO, CARLA EM DIVAGAÇÕES SURREALISTAS

Sunday, December 13, 2009

NO ORFEUZINHO


Apesar do cacau ter chegado ao fim sinto-me bem. Até os empregados do "Orfeuzinho" brincam comigo. A diferença é que não posso pedir cerveja atrás de cerveja. Durante duas semanas fiz feliz as gerências dos cafés e dos bares. Durante duas semanas andei à grande e à francesa a espalhar a felicidade pelos tascos. Agora acabou. Acabou tudo, minha rica. Volto a contar os trocos. Fico reduzido a uma ou duas cervejolas de novo. Mas não me sinto mal. O livro vai ser lançado no sábado no "Piolho". É o meu oitavo livro ou o sétimo, consoante a perspectiva. Mais uma obra lançada ao mundo. Mais um filho, como dizia o Vasques. O terceiro pela Corpos. Mas o que é facto é que tenho de arranjar maneira de ter dinheiro novamente. Se bem que o capitalismo seja maléfico na sua essência, como dizem o padre Mário e o Michael Moore. O capitalismo, tal como o dinheiro, é maléfico na sua essência. A opção é lutar contra isso ou converter-me ou adaptar-me à máquina. E eu, no fundo, nunca me converti. A partir de certa altura segui o caminho nietzscheano, rebelde e dionisíaco. Tenho mesmo algo de messiânico. Serei o Pedro de Jesus, de que fala o padre Mário? E o homem ao balcão fala da morte. "Antes ser queimado do que ser comido pelos vermes e pelas formigas". Vem-se ao "Orfeuzinho" e ouvem-se conversas interessantes. Só me falta ir ao "Guarda-Sol". Lá tratam-me como a um doutor. E o telefone toca.

Friday, December 11, 2009

DA CARLINHA-CARLA OM

... todos os caminhos vão dar ao piolho vale a pena conhecer as deambulações revolucionárias do a pedro ribeiro ... entretanto temos sol por cá ... a irromper pela realidade ... :) fumo uma ganza e transcendo me ehheheh que nice !!!! ... saudaditas miseráveis das minhas peregrinações das minhas alucinações on the road ... em cordoba fiz poesia de rua com um amigo espanhol que conheci no albergue, boa onda os albergues gratuitos, acampei lá uma semana ... tudo de borla altamente para quem anda sem dinero e sozinha, deu para conhecer pessoal fixe ... ah não consigo actualizar o voodoo vou abrir o teoria alucinogenea no blogspot ... espero que continuem a curtir a onda ... beijocas, bom fim de semana carla aka un jeune garçon que dança na rua enquanto espera descalço boleia para o próximo pueblo !!!!

Thursday, December 10, 2009

O POETA FALA AOS ANJOS


O POETA FALA AOS ANJOS

Agora compreendo, temos de celebrar a mulher. A mulher livre. Por isso tantas vezes a provocámos. A mulher sagrada. Como Maria Madalena. Que nos dá à luz e nos dá a luz. Que nos dá o amor.


O sagrado feminino tem sido espezinhado ao longo dos tempos pelas Igrejas, pelos poderes. Só assim se explicam tantas guerras, tanta ganância, tanta luta pelo poder. A revolução anarquista e surrealista passa pelas mulheres. Daí o endeusamento da mulher feito pelos surrealistas.


As mulheres têm um poder de que nem sempre têm consciência. O poder de criar vida, o poder de dar o amor. Sim, agora compreendo. Não pode haver contradição entre o amor e a revolução. Amamos as mulheres. Dissemos, escrevemos aquelas palavras, aqueles palavrões, só para as provocar, para as despertar.


É uma bênção olhar para a mulher amada, para a mulher que passa. É uma bênção, sermos abençoados pelo Sol. Mas a mulher tem de ter noção de quão abençoada é. Eis uma das missões do poeta.


O poeta está cá para cantar a mulher, a beleza da mulher. O poeta está cá para derrubar o capitalismo mas ao fazê-lo deve celebrar a mulher. O poeta não pode ter um discurso puramente político, puramente marxista ou anarquista social.


Olha o anjo que entrou. O poeta tem de falar aos anjos. O poeta tem de voltar à adolescência, quando falava de paz, amor e anjos. O poeta tem de ser a criança sábia. O poeta nada tem a ver com o primeiro-ministro nem com os poderes.


O poeta fala outra linguagem. O poeta anda sempre em demanda do Graal. O poeta não vive no mundo dos políticos nem dos empresários, nem dos financeiros, nem dos bolsistas.


O poeta torna-se naquele que é. O poeta é livre. O poeta quer a mulher livre. O poeta quer o homem livre. O poeta é a própria liberdade. O poeta quer a união sagrada.

UM POETA NO PIOLHO


UM POETA NO PIOLHO

Integrado nas comemorações dos 100 anos do café Piolho, no Porto, A. Pedro Ribeiro lança o livro "Um Poeta no Piolho" (Corpos Editora), só com textos escritos no Piolho, no próximo sábado, 12, pelas 17 h. A apresentação do livro vai estar a cargo do escritor Raúl Simões Pinto e conta também com a presença do editor Ricardo de Pinho Teixeira. A. Pedro Ribeiro é autor dos livros de poesia e manifestos "Queimai o Dinheiro" (Corpos, Março de 2009), "Um Poeta a Mijar" (Corpos, 2007), "Saloon" (Edições Mortas, 2007), "Declaração de Amor ao Primeiro-Ministro" (Objecto Cardíaco, 2006), "Sexo, Noitadas e Rock n' Roll" (Pirata, 2003) e "Á Mesa do Homem Só. Estórias" (Silêncio da Gaveta, 2001). Foi fundador da revista literária "Aguasfurtadas" e colaborador de diversas revistas e fanzines como "Portuguesia", "Cráse", "Voz de Deus", "Bíblia" e "Conexão Maringá" (Brasil). Diz poesia e faz performances poéticas e poético-musicais, tendo actuado nos Festivais de Paredes de Coura 2006 e 2009 e recentemente nas "Quintas de Leitura" do Teatro Campo Alegre. Foi activista estudantil na Faculdade de Letras do Porto, onde se licenciou em Sociologia. Foi jornalista e é cronista. É vocalista das bandas Mana Calórica e Las Tequillas.

Wednesday, December 09, 2009

ESPERO POR TI, GORETI


ESPERO POR TI, GORETI
Espero por ti, Goreti
às quatro da manhã no "Big Ben"
espero por ti, Goreti
apesar de saber que estás na Madeira
a mares de mim
a mares das àguas
que bebo aqui
espero por ti, Goreti
no meio da fala da puta
da puta que fala
e dos chulos que se amontoam
em redor
espero por ti, Goreti
apesar de ter gasto o cacau todo
nos bares das redondezas
depois da entrevista na Rádio Casa Viva
depois da Idade Média
no "Armazém do Chá"
e dos outros sítios da moda
onde um gajo se sente como o Lou Reed
Take a walk on the wild side
espero por ti, Goreti
porque hoje até vi o Santo Graal
no "Piolho"
e dei dois euros ao mendigo
espero por ti, Goreti
no meio dos rufias da noite
após uma hora de conversa
com o Zé Pacheco
o escultor
que me passou três euros para a mão
sem eu lhe pedir nada
e a puta que fala
e não se cala
já as conheces há 2000 anos
e continuas a andar
a entrar nas casas
como entravas
e a puta que beija
e a puta que vai
e o empregado
que fala nos quintos do inferno
e até já me sinto nas minhas quintas
e até já volto a pedir cerveja
sou a estrela
e a barriga enche
e o Adriano goza
e o marquês de Sade
já ninguém se escandaliza
mal sabem elas
as palavras do divino
espero por ti, Goreti
e ando a estoirar o dinheiro
do Campo Alegre
assim
como se fosse nada
e a puta fala
e a outra puta não vem
não há aqui
estrelas do rock n' roll
só o gajo
a escrever à mesa
e o pessoal que fala
como a puta
de boina
brasileira
que bebe
e já não saca
mas dá lições de moral
à clientela
e que se vai
e nos deixa sós
com umas estranjas insossas
espero por ti, Goreti
e inauguro o caderno
e sinto-me como Allen Ginsberg
sabes, tens razão
há pessoas que não valem mesmo nada
e o Socrates hoje até foi derrotado
na Assembleia da República
e os gajos só falam
da pen e das gigas
e já não há putas
nem travestis
para animar esta merda

resta-me esperar pelo metro
e aturar estes matrecos
que não dizem
a ponta de um corno
espero por ti, Goreti
e o "Big Ben" já não é
o que era
por todo o lado
me tratam
como ao príncipe da Baviera
já não sou o que era
quando armava confusões
e não tinha um tostão
amanhã não vou sair da aldeia
~vou dar dinheiro aos de lá
sempre é a terra do meu pai
não me fica mal
o pessoal junta-se todo nos sítios
e os outros ficam ás moscas
é tudo uma questão de moda
top-model
como tu poderias ser
e entram os freaks
e pedem sanduíches
e o rock n' roll rola
e telefonei a horas á minha mãe
agora durmo com máscara
por causa da apneia
vai-te deitar, mãe
não fiques á minha espera
que eu hoje estou no rock
andei a fazer observação participante
como se dizia na Faculdade
e já só tenho vontade
de continuar a escrever
espero por ti, Goreti
e já não há putas
no "Big Ben"
anda tudo bem comportadinho
a falar de cabos
e playstations
como o Rocha
que apareceu no "Orfeuzinho"
e me pagou o cafézinho
não suporta o Red e o Dick
mas eu não tenho preconceitos
aprendi com o Nietzsche
já o disse na entevista
espero por ti, Goreti
e a mulher e a namorada
está entretida com o computador
enquanto o gajo olha para a TVI
até parece que os gajos
me querem filmar
sou uma estrela
há gajos que me reconhecem
mas as gajas não me dão
beijos na boca
deve ser por causa da barriga
é por causa dos fritos
e do pão
a cerveja já não conta
até a deito fora
a partir de certa hora
é veneno
mas juro que no "Piolho"
bebi o Graal
estava a micar uma gaja
que estava a escrever
eu conheço-a
não sei de onde
até ensaiei em Vila do Conde
na praia
onde há gajos a pescar
não sei o quê
vá-se lá perceber o homem
Espero por ti, Goreti
e ainda há gajos que dão
as boas noites
a toda a gente
que se armam
em presidente
e o Sócrates
e o Vara
e o Godinho
são todos um docinho
deviam ir todos presos
apesar do Reinaldo
e dos indefesos
ide todos dar uma volta
o homem controla
e ordena
e isto está uma bruta seca
espero por ti, Goreti
e vou ter de pedir mais cerveja
é mais forte do que eu
estes gajos fazem-me a cama
e só me pedem cartão
e eu vou até
ao fim do filão
este pessoal dos bares
desconhece o "Big Ben"
fica mesmo junto à estação
não há que enganar
está tudo fodido
mas é o que está a dar
espero por ti, Goreti
e aparecem gajas
para um gajo olhar
não são grande coisa
até vou mijar
espero por ti, Goreti
e até dou espectáculo
faço piruetas
equilibrismo
e até nem fui dançar
as putas falam comigo
mas eu já gastei o cacau
sou o maior
sou um carapau
espero por ti, Goreti
e nunca escrevi como hoje
se me tivesses ligado
era outra dose
espero por ti, Goreti,
não sou o Pablo Neruda
sou mais como o Ginsberg
levo tudo à bruta
espero por ti, Goreti
e esta merda não muda
um gajo bem diz umas coisas
mas a gaja é surda
espero por ti, Goreti
e não se passa nada
o cabrão fala, fala
e nunca mais é
de madrugada
o gerente inteligente
mas põe-me doente
e anda tudo com
um sorriso "pepsodent"
espero por ti, Goreti
e isto nunca mais acaba
o relógio não avança
e não se passa nada
ninguém fala do Sócrates
nem do Vara
anda tudo de tola avariada
espero por ti, Goreti
e sabes que te espero
e sabes que te quero
até ao fim.


Porto, "Big Ben", Novembro de 2009.

in http://quintasdeleitura.blogspot.com

NOVAS OPORTUNIDADES?

O antigo ministro das Finanças Medina Carreira arrasou o programa Novas Oportunidades, classificando-o de “trafulhice” e “aldrabice”, defendendo um regime educativo exigente como condição para a integração no mercado de trabalho.Rui Gaudêncio


Para Medina Carreira a iniciativa dos Ministérios da Educação e do Trabalho e da Solidariedade Social é “uma mentira” promovida pelo Governo
Convidado da tertúlia 125 minutos com, que decorreu no Casino da Figueira da Foz, Medina Carreira disse ainda que a educação em Portugal “é uma miséria” e que as escolas produzem “analfabetos”. “[O programa] Novas Oportunidades é uma trafulhice de A a Z, é uma aldrabice. Eles [os alunos] não sabem nada, nada”, argumentou Medina Carreira.

Para o antigo titular da pasta das Finanças a iniciativa dos Ministérios da Educação e do Trabalho e da Solidariedade Social, que visa alargar até ao 12.º ano a formação de jovens e adultos, é “uma mentira” promovida pelo Governo.

“[Os alunos] fazem um papel, entregam ao professor e vão-se embora. E ao fim do ano, entregam-lhe um papel a dizer que têm o nono ano [de escolaridade]. Isto é tudo uma mentira, enquanto formos governados por mentirosos e incompetentes este país não tem solução”, acusou.

As críticas de Medina Carreira estenderam-se aos estudantes que saem das escolas “e não sabem coisa nenhuma”.

“O que é que vai fazer com esta cambada, de 14, 16, 20 anos que anda por aí à solta? Nada, nenhum patrão capaz vai querer esta tropa-fandanga”, frisou.

Defendeu um regime educativo “exigente, onde se aprenda, porque os empresários querem gente que saiba”.

Questionado pela jornalista Fátima Campos Ferreira, anfitriã da tertúlia, sobre a avaliação de professores, Medina Carreira classificou-a de “burrice”.

“Se você não avalia os alunos, como vai avaliar os professores?”, inquiriu.

Admitiu, no entanto, que os professores terão de ser avaliados, desde que exista “disciplina nas aulas, o professor tiver autoridade, programas feitos por gente inteligente e manuais capazes”, argumentou, arrancando aplausos da assistência.

Tuesday, December 08, 2009


Estou numa forma esplêndida. Não fossem os enjoos que tenho de vez em quando por causa do àlcool e estava a caminho do céu. Estou mesmo melhor que nos melhores períodos dos anos 80 e 90. Estou mais consistente. Mais senhor. Bebo e faço os tasqueiros felizes. Por enquanto, claro. O cacau está a acabar. Mas ainda não acabou. Ouço as conversas das senhoras de domingo. Até há uma que não fala e é jeitosa. Vou ler o jornal.

DA CARLINHA-CARLA OM

ando a flutuar ... um pouquinho feliz concretizei um projecto que já tinha meio ano , gostei muito do resultado do meu último trabalho em estúdio para além de ser viciante trabalhar com microfones computers cabos all round me !!! tou no parque florestal da cidade reminiscências de um mundo azul eléctrico (táxi e devia ter dito ácido, diz a miuda do baloiço !) o universo do rock and roll . ! viva o rei lagarto e as visões quentes do desero sonhei que sugeria um encontro ao estilo da mata hari a antónio rafael no deserto do sahara para planearmos umas cenas giras ... passo me e rio delírios em dimensões paralelas progressivas fantásticas !!! ... partilho o último charro ... remete me para estados mais elevados de sensibilidade ... procuro o sonho da liberdade ! punks not dead . o movimento respira criatividade ao expoencial máximo do tempo presente da utopia ! fuck me aka la realitÁ ! (as organizações terroristas devem apresentar propostas de paz aos paises africanos e dedicaram se à agronimia, o contacto com a terra purifica ...

viva a revolução !!

viva a imaginação !!

Nota - sobrevive se com criatividade ... altamente diferente, a conexão com os amigos criativos do mundo deve manter se ... para quem recebeu a minha cronica quem nao recebeu tinha a caixa cheia e trata se de um ficheiro audio um pouco pesado .. podem reclamar para moi même e eu reenvio novamente ... uma dimensao alternativa de mim ... beijocas coloridas e altamente fofinhas carla aka uma princesa encantada !!

Sunday, December 06, 2009

ANTÓNIO MARIA LISBOA

António Maria Lisboa, nasceu em Lisboa em 1 de Agosto de 1928 e morreu na mesma cidade em 11 de Novembro de 1953. É, com Mário Cesariny de Vasconcelos, um dos principais poetas do surrealismo português. Fez parte do Grupo Surrealista de Lisboa que, com Mário Cesariny de Vasconcelos, Cruzeiro Seixas, Pedro Oom, Henrique Risques Pereira e António Maria Lisboa, se formou em 1948. A sua obra (em parte publicada postumamente por Luiz Pacheco na Contraponto) é composta pelos seguintes livros: «Afixação Proibida» (1949), «Erro Próprio» (1950), «Ossóptico» (1952), «A Verticalidade e a Chave» (1956), «Exercício sobre o Sono e A Vigília de Alfred Jarry seguido de O senhor Cágado e o Menino» (1958), « Em 1980 foi publicado pela Assírio e Alvim um volume com a sua obra completa. O poema que escolhi foi dedicado pelo autor ao seu amigo, o também surrealista, Mário-Henrique Leiria e chama-se

Projecto de sucessão

Continuar aos saltos até ultrapassar a Lua
continuar deitado até se destruir a cama
permanecer de pé até a polícia vir
permanecer sentado até que o pai morra

Arrancar os cabelos e não morrer numa rua solitária
amar continuamente a posição vertical
e continuamente fazer ângulos rectos

Gritar da janela até que a vizinha ponha as mamas de fora
pôr-se nu em casa até a escultora dar o sexo
fazer gestos no café até espantar a clientela
pregar sustos numa esquina até que uma velhinha caia
contar histórias obscenas uma noite em família
narrar um crime perfeito a um adolescente loiro
beber um copo de leite e misturar-lhe nitroglicerina
deixar fumar um cigarro só até meio

Abrirem-se covas e esquecerem-se os dias
beber-se por um copo de oiro e sonharem-se Índias

Saturday, December 05, 2009

Estive a jantar com a Alexandra. A Alexandra é uma gaja fixe. Até queria namorar com ela. As gajas passam. São loiras. Até queria namorar com elas. O whisky bate. O whisky queima. Até quero namorar com ele.

Thursday, December 03, 2009

DA CARLINHA-CARLA OM

os putos do segi estao a ser torturados "kids go home please!" ... às vezes é preciso fazer algum barulho de rua a ver se o povo desperta (ando muito sensivel e o meu inconsciente tem as tertulias da amalia rodigues com o vinicius de moraes e a natália correia ,,, "porque hoje é sabado, merda --- passava bues de vezes no linha da frente um programa de musica alternativa que editei dois anos numa rádio regional aqui em amarante ...! (simplesmente adorável e bués da revoluciinário para a altura , talvez o linha da frente da antena 3 seja uma homenagem:)) continuo a defender um mundo sem violência ... nem consigo imaginar as repercussoes no planeta terra da paz cosmica ! ... e se conseguirmos em espanha conseguimos em todo o mundo, jogo de estratégia mundial ehhhe a eta devia apresentar propostas de paz aos países africanos e nao compactuar com o governo de zapatero que é muito chegado ao pp no que diz respeito a independencia do país basco .. e claro miudos coloridos (almas de fofinhos que deliram pelo cosmos inter-galáctico ) muito em cima do saramago viva a libertação do sahara ... sempre apoiei a frente polisário ... agora que me desliguei um pouco da causa basca embora nao ponha de parte uma quarta peregrinação para me rebolar na montanha e mergulhar no mar enquanto me delicio com um porro e uma taça de vino ! ... apoio ainda mais os rebeldes do deserto ... ya no meu caminho ... de qualquer forma sinto me um pouco desligada de tudo, as pessoas olham como se penetrassem o teu intimo mas nao te conhecem e comentam estupidamente, uma terra pequena todos se conhecem e nao es livre de te sentar na calçada sempre que sentes a luz utopica no planeta, tal como o senti uma noite numa montanha sentimento tao alucinante que nem me lembro se tal me aconteceu no gerês para onde vou sempre que me sinto perdida ... mantenho comigo essa impressão ... por isso luto pela utopia para que as pessoas normais também a possam sentir porque é verdadeiramente delirante ... !!!! .....

mal tenha a cronica abstractamente em meu poder vou enviar para ver se curtem a minha nova orientação e o que me faz perder verdadeiramente a respiração, um microfone ehheheh!!! beijos e tenham um excelente anoitecer , saiam de casa que é depressão vadiem pelas ruas sintam o cheirinho da lua ... que eu adoro e está presa ao meu passado (uma vez pensei que ia ficar com consciencia de lobisomem, já contei isso algumas vezes uma noite muito especial um feitiço feito pela igreja católica ao meu povo ... na suiça existem lobisomens inventados pelo catolicismo ... adoro a lua cheia ajudou me com uma festa cigana que ouvia no meu terraço a impedir uma transformação ... meti me numa residencial outra vez para nao fazer mal a ninguem nessa noite senti me baptizada pela eta alguem me disse para me olhar ao espelho e dizer repetidamente que sou carla e tenho conscinecia de humano ... what a night !! tenho alguma dificuldade em desligar me de vocês :) vá, fiquem bem, curtam e curtam e curtam ... beijos coloridos carla aka un jeune garçon que dança descalço na rua enquanto espera boleia para o proximo pueblo !

Wednesday, December 02, 2009

ILUMINAÇÃO


Iluminação

É de novo madrugada. E escrevo. Ao som dos Led Zeppelin. Não sei o que passa comigo. Será o Graal? Será o Quinto Império? Será o Jesus do padre Mário? Há várias noites seguidas que não prego olho. A música dos Zeppelin em vez de me fazer adormecer põe-me em cima. Apetece-me berrar. Acordar a aldeia toda. Despertá-los da vidinha e do trabalhinho de todos os dias. Bem era preciso um abanão desses. A ver se esta gente ACORDA. Dormem. Estão todos mortos e eu aqui cheio de pedal. ACOOOOOOOOOOOOOORDEM! Um desses berros à Jim Morrison. Para despertar as consciências. Para os fazer ver a vidinha estúpida e fútil que levam. Casa-trabalho-família e pouco mais. Estais mortos! Comunicais mortos. Amais mortos. Assim permanecereis por mil anos até ao romper do feitiço. Escrevi isto há muitos anos. E está cinco estrelas. E é a verdade. Estais mesmo mortos. Viveis mortos. A vossa vida não tem sentido. Por quanto mais tempo deixareis que vos enterrem a cara na merda? Por quanto mais tempo permanecereis mortos? Não escutais o amor, não vêdes o Graal, como eu? Porque não me seguis? Porque tendes medo da liberdade? Porque não me acompanhais? Porque não sois como eu? Será que sou feito de matéria diferente? Será que já estive morto e voltei à vida? Será que sou o cavaleiro do Graal? Porque é que tenho iluminações? Alucinações? Delírios? Mas é tão bom ser irmão dos deuses. É tão bom partilhar com os meus companheiros a Boa Nova. É tão bom ser humano. Não pensar nas coisas em que os outros passam a vida a pensar. É tão bom conseguir passar a mensagem. Conciliar Jesus com Zaratustra e com Artur. Esta noite renasço. Definitivamente, renasço. Não mais mesquinhez, não mais inveja, não mais rivalidades. Sou o rei que procura. Sou o poeta do bem e da eternidade. Estas palavras não são minhas: são-me ditadas por alguém que desconheço. Estou iluminado pelos deuses, como dizia Platão. E que importa dormir se estou às portas do paraíso? Que importa dormir se me estou a encontrar, a tornar-me naquilo que sou, como dizia Nietzsche. Era bom que este estado fosse eterno, que nunca mais voltasse à terra da bruma e da desolação. Mas eu tenho de regressar, de descer da montanha, de ir ter com a populaça ao mercado. Porque é o mercado que comanda tudo. E eu odeio o mercado e por isso tenho de o combater. Estou do lado da Vida.

António Pedro Ribeiro

http://doarcodavelha.blogspot.com

Tuesday, December 01, 2009

VOLTO ÀS ÀGUAS


Volto às águas
já não aguento o álcool
como aguentava
tenho de dosear as coisas
estou no "Piolho"
a olhar para os outros
e já tenho de contar os trocos
novamente
isto já não é sempre
a rolar
como os beatnicks
como os dadá
um, dois finos
e chega
senão fico enjoado
já na sexta foi assim
quando acabei
no "Big Ben"
percorri as capelinhas todas
a estoirar o que ganhei
um gajo anda à deriva
e é no que dá
não é que fique bêbado
há uns tempos que não fico
fui ao tasco
comer um panado
sempre é mais barato
e agora volto aos finos
tenho de matar o tempo
até às 11
vou ao "Pinguim"
ninguém espera por mim
mas vou ao "Pinguim"
dizer as últimas que tenho escrito
provocar a audiência
e os cães fornicam à entrada
é bom ter dinheiro nos bolsos
mas ficamos escravos dele
é só chamar o empregado
levar o copo à boca
e está feito
não há que enganar
assim vai o poeta
que o mundo não reconhece
fino atrás de fino
e as gajas só chegam
para os outros
o que vale é que
joga o Braga
sempre dá para entreter
até pode ser que seja campeão
o Martins ao fundo
não saio daqui tão cedo
quase que bebo por obrigação.

EZLN


Asesinan en Cd. Juárez a Jesús Alfredo Portillo, yerno de Marisela Ortiz, fundadora de Nuestras Hijas de Regreso a Casa
Su homicidio se suma al del académico Manuel Arroyo, ocurrido en mayo pasado.

Un activista y estudiante de la Universidad Autónoma de Ciudad Juárez (UACJ) fue asesinado a balazos por dos sujetos cuando se encontraba en un establecimiento comercial. Se trata de Jesús Alfredo Portillo Santos, de 27 años, alumno de la carrera de Diseño Gráfico.

El joven era yerno de Marisela Ortiz Rivera, vocera y fundadora de Nuestras Hijas de Regreso a Casa y del portavoz de la UACJ, Servando Pineda Jaime, quien hace dos días participó en un encuentro de periodistas, donde dijo que el Operativo Conjunto Chihuahua era un fracaso contundente.

De acuerdo con información proporcionada por la familia, Portillo Santos acudió ayer por la tarde a recoger una manta a un establecimiento comercial de la colonia Kilómetro 5, donde llegaron dos personas para presuntamente esconderse de sicarios.

Poco después entraron dos sujetos armados y dispararon indiscriminadamente en el lugar. El joven universitario y activista falleció en el ataque.

Marisela Ortiz Rivera, junto con las defensoras Norma Andrade y María Luisa García Andrade han recibido mensajes en los que amenazan con asesinar a sus hijos.

Asimismo, el profesor universitario Manuel Arroyo Galván fue victimado el 29 de mayo pasado y recientemente fue levantada (secuestro sin intención de rescate) en su casa en el municipio de Nuevo Casas Grandes la activista Alicia Salaiz Orrantía, de 55 años, a quien el 8 de octubre le mataron a su esposo y el año pasado a un hijo.

http://www.jornada.unam.mx/ultimas/2009/11/29/asesinan-a-activista-y-estudiante-de-la-universidad-autonoma-de-ciudad-juarez

* NUESTRAS HIJAS DE REGRESO A CASA www.mujeresdejuarez.org
* BLOG DE NUESTRAS HIJAS http://nuestrashijasderegresoacasa.blogspot.com/

Sunday, November 29, 2009

Após uma incursão pelo marquês de Sade
pelo Quinto Império e pelo Santo Graal
regresso ao padre Mário
e aos enigmas da fé jessuânica
não estou grande coisa
o tempo está cinzento
ontem bebi demais
sem saber porquê
dou dinheiro ao Luís
antes dar aos amigos
que aos inimigos
já dizia o Zé Né
agora faz sol
e as velhas falam
são como gralhas
fodem-me a tola
e a D. Rosa continua
internada no hospital.

O SENHOR PROFESSOR DE BASILEIA-2


O senhor professor de Basileia
voltou a levantar-se de manhã
dá uns passeios
vai até à confeitaria
escreve e faz umas leituras

o senhor professor de Basileia
observa as famílias burguesas
que vêm da missa
não faz comentários
não fala do anti-cristo
o seu combate
não é aqui que se trava

o senhor professor de Basileia
tem o marquês de Sade á sua mesa
"Léonore e os Portugueses"
não há mais ninguém na aldeia
que ande com esses livros
o pessoal não quer saber de literatura,
sobretudo da maldita,
o que interessa é a conta bancária
e a família

o senhor professor de Basileia
habitualmente é amável
com os seus semelhantes
comete os seus excessos
bebe umas cervejas
mas é gente respeitável
de boas famílias
até passa por santo

o senhor professor de Basileia
é um apreciador de música
e sente-se bem na confeitaria

o senhor professor de Basileia
voltou a levantar-se de manhã.

"Motina", domingo, 29.11.2009

Friday, November 27, 2009

EZLN


La Junta de Buen Gobierno “El Camino del Futuro”, Caracol III, La Garrucha, desmiente las mentiras publicadas.

JUNTA DE BUEN GOBIERNO
EL CAMINO DEL FUTURO
CARACOL 3
HACIA UN NUEVO AMANECER, GARRUCHA, CHIAPAS, MÉXICO

26 DE NOVIEMBRE DE 2009

A LA SOCIEDAD CIVIL NACIONAL E INTERNACIONAL
A LOS COMPAÑEROS (AS) ADHERENTES DE LA OTRA CAMPAÑA NACIONAL E INTERNACIONAL

HERMANOS Y HERMANAS

LA JUNTA DE BUEN GOBIERNO EL CAMINO DEL FUTURO DESMENTIMOS TOTALMENTE SOBRE LAS MENTIRAS DEL MAL GOBIERNO Y CON SU BOLA DE DIPUTADOS LOCAL, PUBLICADAS EL 25 DE NOVIEMBRE DE 2009. EN UN PERIÓDICO QUE LES GUSTA MUCHO EL DINERO Y PUBLICAN LAS MENTIRAS.

ES TOTALMENTE FALSO QUE ESTAMOS PIDIENDO RECONOCIMIENTO DEL MAL GOBIERNO Y DE LOS MALOS LLAMADOS REPRESENTANTES DEL PUEBLO DE CHIAPAS, O SEA EL CONGRESO LOCAL.

ES TOTALMENTE FALSO QUE HUBO UNA REUNIÓN CON NUESTROS COMPAÑEROS Y COMPAÑERAS DE LAS DISTINTAS JUNTAS DE BUEN GOBIERNO AQUÍ EN NUESTRA SEDE DE LA JUNTA DE GARRUCHA.

ES FALSO Y MENTIRAS QUE HAY DOCUMENTOS ENTREGADO AL MAL GOBIERNO PERREDISTA DE SABINES.

ES UNA BOBERÍA QUE DICEN EL CONGRESO LOCAL Y SABINES QUE YA HAY UNA COMISIÓN NOMBRADO COMO ENLACE EL TAL PEDRO GOMEZ SANTIZ NO CONOCEMOS A ESA PERSONA, Y TAMBIÉN NO CONOCEMOS A LOS OTROS CUATRO PERSONA.

SON UNOS BABOSOS Y TRAMPOSOS EL PANISTA DIPUTADO EL LLAMADO CARLOS PEDRERO QUE DICE QUE VISITÓ A LAS JUNTAS DE BUEN GOBIERNO A TODOS LOS DIPUTADOS LOCAL Y FEDERAL DE LOS DISTINTOS PARTIDOS POLÍTICOS NI LOS QUEREMOS VER EN LA FOTO Y MUCHO MENOS PERSONAL PORQUE SON UNOS LADRONES QUE VIVEN A LA COSTA DEL PUEBLO. PORQUE ES UNA FALSEDAD QUE LLEGÓ EN NUESTRAS OFICINAS DE CADA JUNTA.

DESMENTIMOS LO QUE DICE EL TRAMPOSO Y MENTIROSO DE ROSALES FRANCO QUE NOSOTROS LOS ZAPATISTAS SOLICITAMOS ELABORACIÓN DE REGLAMENTOS COMUNITARIOS Y TODO LO DEMÁS BABOSADAS QUE LO DICEN Y QUE DA ASCO POR LAS PURAS FALSEDADES.

LOS MALOS GOBIERNOS MUNICIPAL, ESTATAL Y FEDERAL Y JUNTO CON SU AMO DEL NEOLIBERALISMO SE CREEN PODEROSO CON SU DINERO, PERO SE TOPA CON NOSOTROS LOS ZAPATISTAS Y LAS ZAPATISTAS QUE TENEMOS UN PODER, Y PUEDE TENER CUALQUIER GENTE EN EL MUNDO, QUE SE LLAMA LA DIGNIDAD, QUE NO SE VENDE, NO SE RINDE Y NO CLAUDICA, QUE LLEGA HASTA EL FINAL DE UNA LUCHA. A NOSOTROS LOS ZAPATISTAS JUNTO CON NUESTROS COMPAÑEROS Y COMPAÑERAS DE MÉXICO Y DEL MUNDO, QUE LO EXIJIMOS A LOS TRES PODERES DE MÉXICO A QUE SE HAGA LEY SOBRE NUESTROS DERECHOS Y CULTURA INDÍGENA, A ESOS TRES PODERES NOS MANDARON A LA BASURA, SU FUE ASÍ ESO, CÓMO ES POSIBLE QUE AHORA VAMOS A SOLICITAR A QUE NOS RECONOZCAN. NO SABEMOS BIEN LEER NI ESCRIBIR PERO SÍ TENEMOS MEMORIA.

EL RECONOCIMIENTO YA LO TENEMOS CON NUESTROS BASES DE APOYO Y CON LOS HOMBRES Y MUJERES DE MÉXICO QUE SON CONCIENTES Y TANTO A NUESTROS COMPAÑEROS Y COMPAÑERAS A NIVEL INTERNACIONAL, QUE NOS HAN RECONOCIDO Y NOS HA ACOMPAÑADO A LO LARGO DE NUESTRA LUCHA, Y ESTO ES UN HECHO Y NO SÓLO PALABRAS.

ESTAMOS SEGUROS DE QUE HAY PERSONAS QUE ESTÁN HACIENDO PASÁNDOSE DE QUE SON ZAPATISTAS Y QUE SE ESTÁN ENRIQUECIÉNDOSE POR MEDIO DE LA TRAICIÓN, AL IGUAL QUE LA BOLA DE DIPUTADOS. SABEMOS QUE ES EL MISMO MAL GOBIERNO SON LOS QUE FORMAN A ESE O ESOS GRUPOS DE PERSONAS QUE SON FALSIFICADORES, PERO UN DÍA HAREMOS JUSTICIA.

ENTONCES COMPAÑEROS Y COMPAÑERAS DE MÉXICO Y DEL MUNDO LES COMUNICAMOS QUE NO LE CREAN LAS MENTIRAS DE LOS TRES PODERES DEL SISTEMA CAPITALISTA DE MÉXICO.

A NOSOTROS LOS ZAPATISTAS AQUÍ ESTAMOS. AQUÍ ESTAREMOS Y LLEGAREMOS HASTA EL FINAL, Y UN DÍA FORMAREMOS BUENOS PERIODISTAS Y UN BUEN PERIÓDICO QUE BUSCA Y TRABAJA CON LA VERDAD.


ATENTAMENTE
JUNTA DE BUEN GOBIERNO

ROLANDO
SEFERINO
ENOC
WORQUI
AUSENCIO
FRANCISCO

Thursday, November 26, 2009

CINCO MILHÕES DE EUROS POR DIA

A banca ganha cinco milhões de Euros por dia.


Colocado por Luís Moreira em 26 de Novembro de 2009Neste país, onde a riqueza não cresce há dez anos, e onde há desemprego, que não segura os cérebros jovens, em que os seus cidadãos são já os mais vergastados pelos impostos na UE, onde há, ainda, (vergonha!) dois milhões de pobres, a Banca ganha um milhão de contos por dia.



No país que se prepara para aumentar os impostos, que tem uma dívida externa colossal, um défice orçamental de 8% ( 3% é o défice aconselhável), que a sua balança comercial é deficitária desde sempre, e que é equilibrada pelas remessas dos que mais sentiram na pele, quanto madrasta a sua terra pode ser, há ilhas de opulência e níveis de captação de mais valias do trabalho de nós todos, indecentes.



O nosso país, que tem sido governado à vez por um partido que se diz social-democrata e por outro partido que se diz socialista, consegue ser o mais injusto da UE e o mais pobre!



Mas não satisfeitos com os lucros fabulosos, os bancos ainda têm um tratamento de favor

fiscal que roça o absurdo. Pagam de IRC menos de metade das pobres PMEs que asseguram trabalho a 80% dos trabalhadores portugueses, e que produzem 70% da riqueza e 90% das exportações ( valores indicativos).



Se entrarmos nos cálculos com os lucros obtidos nas off-shores e que desta forma fogem ao Fisco, os bancos não chegarão a pagar 10% de IRC, um terço do que pagam as PMEs



Mas são estes os gestores endeusados que têm que ganhar milhões porque podem ir embora, não se sabe para onde, lá fora os países decentes são muito mais rigorosos e não os querem para nada. Quem tinha mercado de trabalho a este nível, há muito que já foi!



E é neste país nesta situação, pobre, injusto, com um futuro negro ( os próximos dez anos são de empobrecimento) que querem um povo taciturno, tontamente conformado !



É a estes patetas incompetentes que nos levaram para esta situação de pedinte, depois dos milhões recebidos da UE, que devemos parcimónia nas críticas e respeito no tratamento !



Mereçam-nos!

Wednesday, November 25, 2009

WAR PIGS


Black Sabath. War Pigs. Filhos da puta que fazem a guerra. Filhos da puta que matam. Hei-de ver-vos no Juízo Final. Hei-de ver-vos rastejar. Hei-de ver-vos chupar. Porcos de guerra. Não sois. Não existis. Vestis máscaras. Rastejais na lama. Na lama ficareis mergulhados para sempre. Porcos de guerra. Filhos da puta. Rastejai.

MINHA RAINHA


Acabo de vir do Púcaros. Já estoirei metade do cacau que trouxe do Campo Alegre. Tinha umas dívidas. Mas sinto-me excepcionalmente bem. Mesmo em cima. Ao som dos Led Zeppelin. Toda a força anímica. Vou continuar por aqui agora. Vou continuar por aqui até ao fim. O Artur Queiroz não me publicou o texto. Fica a pr´´oxima. Continuamos a puxar pelo Graal e pelo Quinto Império. Continuamos a curtir a noite. Poderíamos ter ido às putas mas não fomos. Paciência. Vamos continuar a gozar com esta merda toda. O que importa é o imaginário, o que importa é a alma. Não é o dinheiro. Não é a matéria. O que importa é a LIBERDADE. A puta da liberdade. É isso que nos mantém vivos, inteiros, divinos. Vamos prosseguir viagem. Vamos até ao fim. Vamos estoirar com esta merda toda. Que se fodam os polícias! Vamos partir os vidros dos carros de madrugada. Anda apanhar-me, ó Macedo Vieira! Anda chupar-me, ó Macedo Vieira! Não tenho medo de ti nem dos teus chefes. Não tenho chefes e quero que os chefes se fodam. Vamos incendiar o dinheiro tudo do mundo. Vamos incendiar-lhes os bancos, as bolsas e a puta que os pariu. Já nada tememos. Só andamos por aqui. A escrever de madrugada. Ao som dos Led Zeppelin. Não suportamos o caramelo que anda sempre a fazer-se às meninas. Já gostamos da mesma há 17 anos. E ela continua na Madeira. Pode ser que agora venha ter comigo. Comprar roupa nos shoppings. É de ti que gosto, Gotucha. É de ti que gosto, Goreti. Não fujas de mim agora. EStamos juntos. Juntos no Graal. Juntos por Portugal. Nada nos irá afastar agora. És a rainha dos meus sonhos. És o que há de mais puro. És a minha rainha até ao fim dos tempos.

Monday, November 23, 2009

PADEIRINHA


Aqui na "Padeirinha"
está-se sempre a mudar de empregadas
saiu a boazona que me inspirava
e entrou uma mulata alta e boa
que também me excita
ao fim e ao cabo,
não se perde nada
continuo aqui a escrever sobre as gajas
enquanto folheio
o "Porto do Graal" de Lima de Freitas
e o homem que se dá com toda a gente
continua a dar-se com toda a gente
e passa a vida aqui na "Padeirinha"
olha, agora está a fazer as palavras cruzadas
enfim, uns micam as gajas
outros fazem as palavras cruzadas
estão bem repartidas as tarefas
cada um se especializa
no "métier" onde se sente melhor
até já parece uma fábrica
eu sou o operário que mica
a operária mulata
a gaja anda de um lado para o outro
atende o telefone
e eu permaneço sentado
a escrever estas merdas
nada dignas
de quem anda a estudar
o Santo Graal e o Quinto Império
enfim! Tenho de manter
a fraternidade universal
com a gaja
promover a miscegenação
dizer-lhe que sou o rei
desta merda toda
apesar de não me dar com toda a gente
como o homem que se dá com toda a gente
e que faz as palavras cruzadas.

O HOMEM E A MULHER


E vem a mulher
e o homem estuda
e vem a mulher
e perturba o estudo
do homem
recém-chegado
de navegações interiores
de descidas ao inferno
a mulher ri
parece receptiva
mas o homem
tem uma reputação
na confeitaria
não se pode dirigir a qualquer uma
sem motivo aparente
mesmo que ainda há pouco
estivesse a combater dragões e demónios
mesmo que há pouco
fosse o cavaleiro
que a dama espera
o homem poder-lhe-ia
contar as suas viagens
falar-lhe da Humanidade
e da sua ideia de Deus
ou até da morte de Deus
se seguisse a perspectiva nietzscheana
mas o homem já não tem a coragem
que revelou diante dos dragões
o homem voltou à realidade
comezinha do dia-a-dia
mesmo que esteja transfigurado
pelo mergulho por si dentro
além disso os novos clientes
trouxeram um puto
com um brinquedo
que faz um ruído insuportável
e a mulher vai embora.

DA CARLINHA-CARLA OM

... que se lixem as mesquinhices e as mediocridades acredito no homem deus que faz tertúlias à lua ... eu vou atrás do pedrocas curtir uns copos e fumar umas ganzas ... e ele a dizer carlinha maradinha a flutuar charrada !! ... pois aqui tem mesmo de ser, ontem um amigo ofereceu me uma cabeça de erva holandesa limpou me o cérebro todo floatting into poetry ... hoje vou passar a tarde num estudio a fazer umas gravações de voz para um amigo que é dj entretanto muito entusiasmada com o "mentes a rock and rollar" só não organizo o festival se for muito preguiçosa ... tem custos reduzidos não ha pasta para flyers fazem se fotocopiias ... só é preciso o espaço, vou cravar a casa da juventude à camara ... a preparar o report sobre as bandas do concelho promover o trabalho delas e incentivar há pelo menos doze a ensaiar na sala de ensaios publica ... temos muito que falar ... beijinhos tenham uma boa segunda feira ... parece que ando dizzy ... continuo com impressoes filmicas .... e a irmandade continua em busca da deusa perdida entretanto encontram se muitos xibos pelo caminho ha que ter cuidade porque um xibo "nem sempre se identifica" ... beijos carla aka une drole fille que toca jambés na rua !

Saturday, November 21, 2009

GRAAL


Continuo sem dormir
Perceval em busca do Graal
dragões, feiticeiras
terras desoladas

procuro por mim dentro
matilhas atravessam-se
no caminho
uivam
sou Hamlet
vejo a sombra do rei
um rei derrotado
um rei atraiçoado
por uma corja de merceeiros
sou Hamlet
deliro vagueio
pela terra
procuro a minha dama
cavalgo
procuro a resposta
no ventre da mãe
na infância
combato em duelo
os moedeiros
os banqueiros
do reino
às vezes caio
depois levanto-me
eles são sempre mais
têm exércitos poderosos
mas eu tenho o amor
eu tenho a liberdade
eu tenho o cálice
sou o novo rei
o príncipe que andava
esfarrapado pelas ruas
sem eira nem beira
e há uma voz que me dita isto
uma voz que vem não sei se onde
as palavras já não são minhas
vêm ter comigo
eu sou apenas o emissário
a voz dos deuses
e estou completamente louco
oh! Como estou louco
mas como me sinto
jovem e belo
ressuscitado
cavaleiro do Graal
e da Távola Redonda
em estado de graça
de Espírito Santo
não há mais caminho a percorrer
cheguei a mim mesmo
tornei-me naquele que sou
sou o rei-poeta
o rei anarquista
o rei alquimista
quando o meu pai estava a morrer
deu-me as mãos
também o meu pai
andava à procura de algo
de uns números, de uns triângulos
mágicos
pai!
eu consigo ver esses números
esses triângulos
3 4 5 16 27
eu consigo ver a luz
há várias noites que não durmo
Perceval encontrou o Graal.

Friday, November 20, 2009

PASMACEIRA


Uma vez mais passei a noite em claro e depois dormi até às seis da tarde. Parece já uma sina ficar acordado de madrugada. Depois da batucada com os guineenses li o "Graal" de Jean-Michel Varenne. Afinal há várias versões do Graal. Mas o assunto fascina-me cada vez mais. Aqui na "Padeirinha" as empregadas estão sempre a mudar. Se calhar, lá se foi a boazona que me fazia escrever e excitar. Foi substituída por uma preta simpática. Estou mesmo em comunhão com os irmãos africanos. Ontem também travei uma longa conversa com o padre Mário. Afinal, também é amigo do Artur Queiroz. Vou receber na quarta-feira. Tenho de me resguardar até lá. Mas não há dúvida que estou a passar por uma fase "high". As coisas rolam, a palavra sai cristalina. Até começo a ter os meus fãs e seguidores. Pena que eles não se juntem todos no mesmo sítio. A patroa também é boa mas tem dono. A patroa dá-me broa e não me deixa ao abandono. As boazonas e as boazinhas vêm ao pão. Mas não há dúvida que estou com uma certa classe. Passeio-me pelas ruas, vou aos sítios, digo as palavras com o gingar do cowboy solitário. Não recebo beijos na boca mas não tenho dúvidas de que as gajas olham para mim. E se tivesse menos vinte quilos, como já dizia a outra...só me falta o cacau de quarta-feira para beber uns whiskies e gozar com esta merda toda...é mesmo o que esta merda merda merece. Que gozemos com ela. Esta merda é uma pasmaceira dos diabos com a televisão ligada ao fundo. Salvam-se os cus das gajas. Que se foda o futuro! Mas o presente também não é grande coisa. Vá lá que um gajo se sente em cima. Imagina o que seria se estivesse em depressão. Esta merda é uma pasmaceira do caralho com umas luzes de vez em quando. É evidente que começo a ver a luz. É o que um gajo faz ou tenta fazer quando escreve ou sobe para o palco. Quebrar a pasmaceira dos outros ou a sua própria pasmaceira.
O homem entra no café, pede uma cerveja, e vem curtir a pasmaceira. E vá lá que não há futebol. Uma coisa é certa. Há merdas que eu escrevo que têm saída. Podem não vender muito mas têm saída. Posso não conseguir chupar as mamas da patroa mas os meus escritos têm saída. Essa é que é essa. O homem que se dá com toda a gente é apreciador de boxe. Chega de escritoria. Voltemos à demanda do Graal.

Wednesday, November 18, 2009

É outra vez madrugada. Escrevo. Procuro na noite o que não há no dia. Logo à noite mais uma sessão de poesia de choque. Espero que apareça gente. Até o padre Mário ficou de aparecer. Não sei o que me dá para acordar todos os dias de madrugada. Depois acordo sonolento. Mas hoje não estou com o pedal de ontem. Estou mais parado.

GLÓRIA


Pedro Ribeiro - Glória-Parte IV

Escrevo. São seis da madrugada. Não consigo dormir. Escrevo o que vem do coração. Sou Jesus. Sou Morrison. Sou Nietzsche. Amo a Humanidade. A Humanidade despojada de Poder e de Dinheiro. O meu único poder é o poder da palavra. Ultimamente tenho feito os outros rir. Se calhar, tenho de virar o disco. Cantar o caos e o amor. Este será um grande dia. Se não adormecer entretanto percorrerei as ruas de Braga manhã cedo. Percorrerei as ruas de Braga em busca de glória. Percorrerei as ruas de Braga e amarei o humano dos homens e das mulheres. O humano que resta nos corações dos homens e das mulheres. E levarei comigo o padre Mário. O livro do padre Mário, o "Novo Livro do Apocalipse ou da Revelação" faz-me renascer como o "Plexus" de Henry Miller. Já não sou o mesmo. Tenho mesmo uma missão na Terra. Escreverei livros e levarei a mensagem seja onde for. "Queimai o Dinheiro" já é um sinal, "Da Merda até Deus" será outro. Mas tenho de publicar as minhas prosas. Neste tom profético que já tem sido publicado na "Voz da Póvoa". Acredito no Homem, sou forçado a acreditar no Homem como Che Guevara acreditava. Não tenho nada a perder. Este é o caminho que tenho de seguir. Não há aqui dogmas, não há meias-palavras, não há cedências ao capitalismo ou ao Grande Irmão. Eu, António Pedro Ribeiro, 41 anos, renasço esta madrugada. Abençoado pela luz do padre Mário Oliveira. Abençoado pelo palco e pelos aplausos. Fascinado pela demanda do Graal, que é a mulher, que é Madalena. Eu, António Pedro Ribeiro, 41 anos, declaro-me revolucionário, filho das flores e do Maio de 68. Amante da Paz e da Liberdade. Poeta do caos e do amor. Profeta da rebeldia.

retirado de http://doarcodavelha.blogspot.com

LUTA ANTI-CAPITALISTA

Desde Atenas, Grecia: en la lucha contra el capitalismo ¡No están sol@s!
Al EZLN
A las Juntas de Buen Gobierno
A los compañeros y las compañeras bases de apoyo del EZLN
A los compañeros y compañeras adherentes a la Otra Campaña
A los compañeros y las compañeras del CNI

Herman@s y compañer@s
Reciben un saludo fraterno y solidario.

Las últimas agresiones que se cometieron por las fuerzas policíacas y militares así como por grupos paramilitares en contra de las comunidades zapatistas (en La Realidad, la Garrucha, Oventic, Roberto Barrios y Morelia), de las comunidades en resistencia de la Otra Campaña en Chiapas (Bachajón, Cruztón, Mitzitón, Jotolá…), en Campeche, en Guerrero, en Oaxaca, en Atenco, en Michoacán, en DF… revelan una vez más que el Estado mexicano, construye su política de destrucción, sembrando la muerte y la división. Los pueblos en resistencia enfrentan una violencia cada vez más intensa, más feroz y sistemática traducida en despojos, desalojos, asesinatos, detenciones y desapariciones.
El objetivo de todos estos operativos es evidente: la imposición de megaproyectos capitalistas (como el PPP o proyecto Mesoamericano parte del cual es la autopista San Cristóbal – Palenque y proyectos ecoturísticos), el despojo y la destrucción de la tierra y de los recursos naturales, la sumisión y el desalojo de las comunidades en resistencia, acabar con la autonomía zapatista y la resistencia de los pueblos indios de México.
Ante esta situación, los compañeros y las compañeras de la asamblea “Solidari@s anarquistas, antiautoritari@s y libertari@s” y del colectivo “Espiral de solidaridad, semilla de resistencia”, adherente a la Sexta Declaración de la Selva Lacandona, queremos expresar nuestra solidaridad y apoyo firme e incondicional al EZLN y las comunidades zapatistas, a los compañeros y las compañeras adherentes de la Otra Campaña y los pueblos indígenas y rebeldes de México reafirmando que en la lucha contra el sistema capitalista y por un mundo con libertad, justicia, dignidad y autonomía NO ESTÁN SOL@S. Ya que este puente que une los rebeldes del mundo, este “tercer hombro” que se llama solidaridad no conoce fronteras, distancias o límites geográficos.

Alto a las agresiones y a la represión en contra de las comunidades rebeldes zapatistas y de los rebeldes de México y del mundo.
Libertad a todos los presos políticos de México y del mundo.
Cese a cada persecución de los luchadores sociales.
¡Por un mundo sin patrones ni esclavos, sin policías ni ejércitos, sin cárceles ni fronteras!
¡Hasta la liberación social mundial, la lucha sigue!

Asamblea “Solidari@s anarquistas, antiautoritari@s y libertari@s”
solidaridadzapatist@gmail.com
“Espiral de solidaridad, semilla de resistencia” espiraldesolidaridad@gmail.com
Atenas, Grecia.

Tuesday, November 17, 2009

Escrever a altas horas da madrugada. Eis uma das missões do escritor. Vão aparecendo mais pessoas nos meus blogues. Sempre tenho algo a dizer. Não me limito a dizer o que os outros dizem. As reuniões dos grupos anarquistas parecem-me inúteis. Acredito no rock n' roll. No rock n' roll não contaminado pelo comércio. Acredito na bondade, mesmo na de Jesus. Acredito que temos, pelo menos alguns de nós, algo de divino para mostrar ao mundo. Acredito que vou ter de andar a pregar a Boa Nova. Acredito que a minha vida recomeça aqui nestes dias. Acredito que sou sincero. Acredito na Gotucha. Acredito na mulher. Acredito no homem.

Monday, November 16, 2009

POESIA DE CHOQUE

Amanhã, quinta, 19, pelas 21,30 h, há POESIA DE CHOQUE no Clube Literário do Porto. Com Luís Carvalho, António Pedro Ribeiro e poetas guineenses. Sempre a abrir.

TÉDIO

Apesar de escrever algumas coisas interessantes, estes dias enchem-me de tédio. Não há nada para além de estar aqui sentado na confeitaria. As notícias do trânsito nada me dizem. Contrariamente a outros, não vivo de acidentes nem de desastres. Este quotidiano sem ter ninguém interessante para falar aborrece-me, deprime-me. Se tivesse dinheiro para umas cervejas sempre me entretinha, sempre alimentava a ilusão. Se me pusesse a pregar a Boa Nova chamavam-me maluco. Só o posso fazer nos tascos e nos bares. Bem, ao menos um gajo sempre vai escrevendo. Sempre cria alguma coisa. Já é alguma coisa. Não fico aqui a olhar para as paredes. Escrevo. É isso que faço. Lá me vão publicando as minhas coisas. Só falta que se vendam mais. Mas que isto é profundamente entediante, não tenho a mínima dúvida.

PCTP/MRPP

Governo para a rua!


Arrogância, prepotência, e com mais adjectivos se poderia classificar a apresentação do programa deste governo, o "novo" PS.
O que este "novo" PS pretende? Decide manter um Código de Trabalho, um manual criminoso contra os trabalhadores, que incentiva os despedimentos, atacando os mais elementares direitos dos trabalhadores; decide manter a avaliação dos professores, o mais aberrante e criminoso caderno de encargos contra uma profissão e os seus trabalhadores e a escola e seus alunos; prepara-se para privatizar mais empresas públicas essenciais para uma economia de um país se quisesse ser independente, como por exemplo a TAP; não decide em defesa dessa mesma economia, quando deixa nas mãos dos chineses, alemães e outros, (uma falsa resolução do problema) ...não apoiando uma medida elementar como a nacionalização de uma empresa como a Qimonda; decide não combater a corrupção generalizada nas chamadas empresas públicas, mantendo o status quo, a entrega de tachos e sinecuras ao PS e PSD, as administrações destas empresas à Bloco Central; decide manter a política que tem provocado o contínuo fecho de fábricas e empresas, provocando mais e mais despedimentos de trabalhadores, em suma decide manter as velhas receitas contra a crise que foram derrotadas, (em parte...) nas últimas eleições pelo povo português.

E a oposição o que fez...boa pergunta... a resposta foi como se esperava, titubeante, evasiva, com chavões e derrotada à partida, deixando que o governo do Sr. Sócrates mantivesse o discurso da chantagem, do discurso anti-democrático. Os diversos partidos ditos de oposição demonstraram ao povo português, que depositou o seu voto em tais partidos, o que são verdadeiramente, uns simples espectadores desta triste novela, desnorteados e presos pela sua ideologia de vencidos da vida á partida!


E qual o papel dos trabalhadores portugueses face este cenário? No nosso ponto de vista só pode ser um, continuar a luta contra este governo, sem tergiversações, obrigar as ditas oposições a cumprir o que prometeram quando caçaram o voto de quem trabalha, como por exemplo, a imediata suspensão da dita avaliação dos professores, a revogação do Código de Trabalho, entre outras, mas fundamentalmente não alimentar ilusões nesta farsa de democracia, lutando denodadamente contra este sistema capitalista que não resolverá crise, e em contrapartida mostrar que existe uma solução, lutar pela revolução socialista, demonstrando que os trabalhadores, e só eles, podem resolver a crise.



7 de Novembro de 2009

PCTP/MRPP

Nota de rodapé…15-11-09
Obscenidade bancária...

Os cinco maiores bancos do País apresentaram entre Janeiro e Setembro de 2009 um lucro combinado de 1,4 mil milhões de euros. Feitas as contas, BES, CGD, Santander Totta, BCP e BPI, que representam mais de 80% da Banca nacional, um lucro combinado de 5,19 milhões de euros por dia desde o arranque do ano.

Será necessário dizer mais algo, claro que não. É fartar vilanagem!

Enquanto o desemprego aumenta, as reformas baixam, as fábricas e empresas fecham portas, os ordenados base tem "aumentos" miseráveis, a Banca tem aumentos obscenos, como por exemplo o maior banco espanhol, Santander, uma subida de 0,3% em face igual período de 2008!
Os empréstimos mais caros para quem quer comprar casa, com a subida das margens de lucro, e ao mesmo tempo o crédito mal parado, subiu no passado mês de Agosto, 2,77%, afectando as famílias com maiores encargos e pequenos comerciantes.

Outro pormenor importante a ser focado, a CGD, BES e BCP, recorreram ao aval do Estado, usando garantias do Estado, quer dizer financiados com os impostos de quem trabalha, no valor de 5 milhões de euros. É fartar vilanagem!

Só com uma banca ao serviço do povo, como o partido defende e defendeu no seu programa às últimas legislativas, a nacionalização da banca, como um sector básico de uma economia de um país que se queira independente, é que estas situações terminarão sem apelo nem agravo e ao mesmo tempo obrigando a banca a ser o principal eixo na promoção do investimento público.

Friday, November 13, 2009

77

Estou no "77" e já fiz o teste de alemão. Lá copiei. Agora vou aldrabar no metro com um bilhete Z3. Na infância e na adolescência não era assim. tinha medo das normas e da autoridade. Agora não. Ando na corda-bamba. Há pouco fui ao "Gato Vadio" e não se passava nada. Aqui no "77" também pouco se passa. Só tenho uma "mini". DEi 50 paus a um necessitado na rua. E fiquei sem uma "mini". É o que dá ser jesuânico, caro padre Mário. Ontem a TVI esteve no "púcaros" e eu não estive lá. Aqui ninguém me reconhece. Hoje que me vi livre da merda do teste. Há que comemorar. Mas há individuos que se me dirigem afectuosamente. Inclusivé um velhote que disse que me conhecia no "Piolho". Também o conheço de qualquer lado, não sei de onde. Os putos é que não vêm ter comigo. Nem as gajas. Sou uma estrela e não sou reconhecido. Há anarcas à porta. A "mini" está quase a acabar. O engravatado ao balcão fala com a patroa. Fala-lhe de negócios que ninguém entende. Sou uma estrela mas não apareci na TVI. Merda para o gajo que me cravou 50 cêntimos. Agora já bebia outra. Assim estou condenado a ir-me embora. A aldrabar os controleiros do metro. Ninguém me reconhece aqui. Sou uma estrela mas ninguém me reconhece. Nem sequer há um gajo para cravar uma "mini". Foi-se. Lá me safei no teste de alemão, espero eu. O empregado saca as moedas do bolso. Afinal está cheio de notas e saúda-me. Deve pensar que sou um escritor consagrado. Bebe mais um fino. Não deve ser mau de todo o engravatado. Talvez lhe crave uma "mini". porra! Esta merda não dá mais nada.

DESAGUAR EM TI


Andar de café em café
percorrer a cidade
desde manhãzinha
desaguar em ti
nos teus cabelos
na tua alegria
um homem anda
percorre os lugares
da adolescência
sobe aos céus
desce aos infernos
come pregos
bebe cafés
um homem vive a vida
num só dia
vai às livrarias
aos centros comerciais
atravessa mulheres
mas vem desaguar
em ti
eras criança
não tinhas nascido
já eu andava por aqui
ao sabor do instinto
em busca da glória
não sabes quem sou
mal olhas para mim
sou aquele que regressa
a si mesmo
sou aquele que te olha
a meio do café
o café que trazes
aos outros clientes
um homem anda por aí
bebe nos bares e nos tascos
fornica a solidão
e, no fim de tudo,
vem desaguar em ti.

Thursday, November 12, 2009

NA BRASILEIRA PELA MANHÃ


Percorro Braga pela manhã
da "Brasileira" ao Sá de Miranda
passando pelo "Bragashopping"
e pela rua dos Chãos
folheei os livros na "Centésima Página"
o homem do "Sporting" passou-me
o jornal para a mão
e assim me sinto em casa
livre como um pássaro
pela manhã
pelas ruas da cidade
até os manequins do "Shopping"
me excitam
mas eu hoje não dormi nada
escrevi até de madrugada
um texto profético
agora estou na "Brasileira"
os senhores da república falam
sou um homem livre
senhor de mim mesmo
e é assim que pretendo continuar
deveria estar aqui todos os dias
nesta cidade
o homem à porta cumprimenta o Marques
outro homem entra
e eu na "Brasileira" como Pessoa
o poeta que escreve à mesa
outros lêem o jornal
as notícias do mundo e do futebol
o Braga está na frente
oxalá seja campeão
o Cândido graceja com as clientes
também poderia dedicar um livro
à "Brasileira"
assim como vou fazer com o "Piolho"
já ninguém passa sem os telemóveis
é entrar, minha gente!
Está frio lá fora
e não chove
recoloco os óculos
tudo é mais nítido
tenho 41 anos
não mudei tanto assim
sei mais umas coisas
apanhei umas patadas
passei por depressões e euforias
mas basicamente sou o mesmo
talvez mais conhecido
em certos meios
continuo a acreditar na paz, no amor
e na fraternidade universal
como aos 16 anos
apenas fiquei mais céptico
mais satírico
mais provocador
e é isso que mostro aos homens
quando vou dizer poemas
pode ser que um dia
venha a viver disso
o que importa
é que estou de consciência tranquila
na minha cidade
na "Brasileira".


Braga, "Brasileira", 9.11.2009

SÃO JOÃO DA MADEIRA


Levanto-me às 4 da tarde e volto a deitar-me até às 6. Estive em São João da Madeira, no Art 7. Fui lá dizer dois poemas e estive a beber toda a noite. Assim é que a vida rende. Estou mesmo a voltar aos tempos gloriosos, à Idade do Ouro dos anos 80 e 90. E vou tendo algum cacau nos bolsos. A Carla estuda. A professora de alemão é boazinha. Estou entusiasmado com o livro do Padre Mário. O gordo imbecil continua na televisão a dizer imbecilidades. Leitinho! Leitinho! Que o dia está só a começar. Não tenho a vida dos outros nem quero ter.



Acredito na revolução. Aliás, só acredito na revolução. Isto vai arder. Tenho a certeza de que vai arder. Vejo tudo parado. Só a falar de futebol. Mas isto vai arder. Tenho a certeza. Um revolucionário deve comportar-se como tal. Deve ser um rei num mundo de merda. Deve acreditar.

Wednesday, November 11, 2009

PORTO, PIOLHO


De novo no "Piolho"
estive com a Alexandra
não põde ficar mais tempo
é pena
ao meu lado fala-se francês
lá fora chove
como sempre
estou com o copo à frente
é esta a minha vida
é isto que tenho a fazer
as gajas bebem às canecas
e o futebol dá na TV
comecei a ler o livro
do padre Mário da Lixa
o padre proscrito
o padre maldito
e as praxistas sentam-se
a meu lado
são bonitas
pode ser que alguém me reconheça
agora que vou às "Quintas de Leitura"
agora que me sinto uma estrela
as praxistas acariciam-se
nos cabelos
a gaja francesa
saca de uma nota de 50
e eu aqui a contar os trocos
de novo a contar os trocos
depois de uns dias de euforia
sou o homem que bebe
e que anda pela cidade
que não consegue ficar bêbado
que ama a liberdade
sinto-me de novo
na Idade do Ouro
nos anos 80 e 90
quando andava à solta
sem juízo
ao sabor do rock
numa onda nietzscheana
e morrisoniana
a cantar e a dançar
na discoteca
a ocupar hipermercados
a praxista da frente
é muito bonita
mas vai embora
"quem irá beber comigo
esta noite?"
- canta o António
e eu prossigo viagem
procuro abrigo
não tenho limites
sou o gajo da caneta
que faz literatura
sou o gajo que leva
o copo à boca
que já não cai
há ano e meio
e que, por isso, celebra
e o sr. Martins
ao balcão
ninguém vem ter comigo
celebrar esta merda
conversas à volta
mas eu não capto nada
sou o gajo que vai ficar
até de madrugada
sou o gajo que marca
o ritmo da casa
que apresenta o livro aqui
que vai ali
e já volta
sou o homem da revolta
o cabotino que canta
sou o homem que faz
o que lhe dá na real gana
que cospe nas instituições
que diverge da família
sou o gajo que cresceu nos bares
que fala a linguagem dos bares e das ruas
e que caga nesta merda
sou o gajo que bebe cervejas
até ao fígado dar o berro
o gajo que fareja
e deixa a vida rolar
não há aqui Jesus, nem Deus
nem Virgem Maria
é apenas o homem a beber
até ser dia
sou o que sou
o que aprendi na rua
e assim hei-de continuar
por muito que te doa.


Porto, "Piolho", 4.11.2009